Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

“Governo quer entregar riquezas do povo brasileiro”, avalia Bucaresky

Compartilhe:
andre_bucaresky_1170x530

A venda de ativos da Petrobras, colocada como um dos objetivos do Governo Federal sob comando de Jair Bolsonaro, ganhou um forte argumento na última terça-feira (11). A diretoria da estatal entrou em acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para encerrar uma investigação sobre suposto abuso econômico da empresa no mercado de refino de petróleo.

 

Para a assinatura do Termo de Compromisso de Cessação (TCC), a companhia aceitou privatizar oito das 13 refinarias sob seu controle. Os negócios devem ser concretizados até o fim de 2021.

 

O diretor do Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) André Bucaresky avaliou a iniciativa da Petrobras em se desfazer de seu patrimônio como um ataque à soberania nacional.

 

“A situação é muito grave. Se esse governo não for derrotado pela luta dos trabalhadores, vai entregar todas as riquezas acumuladas pelo povo brasileiro há décadas, não só aumentar o grau de exploração dos trabalhadores, diminuir direitos. Essa venda de refinarias é um escândalo completo, são refinarias bastante viáveis que não só dão dinheiro, mas garantem a Petrobras como empresa integrada de energia. Desmembrar a Petrobras é a mesma coisa que destruir a Petrobras na sua essência”, comentou.

 

As refinarias que serão negociadas totalizam uma capacidade de refino de 1,1 milhão de barris por dia. São elas a Refinaria Abreu e Lima, Unidade de Industrialização do Xisto, Refinaria Landulpho Alves, Refinaria Gabriel Passos, Refinaria Presidente Getúlio Vargas, Refinaria Alberto Pasqualini, Refinaria Isaac Sabbá e Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste.

 

A iniciativa da Petrobras de se desfazer de módulos de refino vai no sentido inverso ao que outras empresas especializadas em petróleo têm feito ao redor do mundo, diversificando sua base de negócios.

 

“O que explica isso são interesses outros que estão colocados na Petrobras, pessoas que não têm o compromisso de defender o país e as conquistas do povo brasileiro estão a soldo das multinacionais para poder garantir o grande saque, são as raposas tomando conta do galinheiro. A Petrobras desenvolveu o pré-sal, outras empresas poderiam ter descoberto, mas só Petrobras pesquisou e descobriu. Não tiveram interesse e nenhuma competência para descobrir essas coisas, agora que está tudo descoberto por nós, querem tomar de mão beijada”, citou Bucaresky.

 

Os trabalhadores da estatal vão aproveitar a greve geral convocada pelas centrais sindicais para a próxima sexta-feira (14) para reivindicar a manutenção dos ativos sob controle estatal. A mobilização na empresa tem sido maciça.

 

“Ela (mobilização) está muito forte, houve assembleias em todas as unidades da Petrobras, inclusive em todas as refinarias, as plataformas de petróleo, que são dezenas, e a aprovação foi massiva. A categoria petroleira está organizada e unificada porque as duas federações que existem, a FNP e a FUP, estão construindo juntos esse processo, preparando em conjunto a greve da categoria petroleira”, destacou o dirigente.

 

Ouça a entrevista de André Bucaresky:

 

 

Entrevista em 12.06.2019

Deixe seu comentário:

Baixe nosso App

Baixe nosso App

Mural de Recados

Deixe seu recado

Para deixar seu recado preencha os campos abaixo:

Para:  
E-mail não será publicado
(mas é usado para o avatar)