Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

“Investimento em investigação vai reduzir violência”, aponta Liñares

Compartilhe:
sindpol_1170x530

A descoberta tardia dos assassinos da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes evidenciou uma das falhas recorrentes das políticas de segurança pública no país: a escassez de verbas para investigação criminal.

 

O panorama preocupante foi relatado pelo presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sindpol-RJ) Marcio Garcia Liñares, ressaltando que o número de profissionais em cada uma das corporações policiais sofreu mudanças profundas.

 

“Ao mesmo tempo em que o efetivo da Polícia Civil regrediu, o da Polícia Militar subiu exponencialmente e a criminalidade aumentou muito. Fica claro que o trabalho que realmente vai reduzir a violência e aumentar a sensação de segurança da população a médio e longo prazo é o de investimento na investigação, no trabalho técnico”, destacou.

 

Especializada na apuração de provas para a resolução de crimes, a Polícia Civil teve um decréscimo nos seus quadros de cerca de 5 mil agentes nos últimos 20 anos, o que dificulta o trabalho da Divisão de Homicídios (DH). Atualmente há quase 9 mil policiais na ativa, 60% menos do que estabelece uma lei estadual que detalha o número de profissionais em cada cargo.

 

No mesmo período, a Polícia Militar, responsável pelas ações repressivas no patrulhamento, mais que dobrou seu efetivo no estado, passando de 20 mil para aproximadamente 45 mil militares.

 

Além da defasagem de agentes, a Polícia Civil corre o risco de perder a qualquer momento um terço dos seus profissionais, que estão no chamado abono de permanência. A estratégia no combate à criminalidade dos sucessivos governos foi alvo de críticas de Marcio Garcia Liñares.

 

“No passado, o foco da extinta Secretaria de Segurança foi em relação às UPP’s [Unidades de Polícia Pacificadora], um programa que não deu certo porque focava especificamente no trabalho de polícia esquecendo toda a área social, todos os demais serviços que o Estado deve prestar”, pontuou.

 

Ouça a entrevista de Marcio Garcia Liñares na íntegra:

 

 

Entrevista em 13.03.2019

Deixe seu comentário:

Baixe nosso App

Baixe nosso App

Mural de Recados

Deixe seu recado

Para deixar seu recado preencha os campos abaixo:

Para:  
E-mail não será publicado
(mas é usado para o avatar)