Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

“O Brasil não tem política externa”, critica professor Williams Gonçalves

Compartilhe:
williams_goncalves_1170x530

As ofensas de Jair Bolsonaro à alta comissária de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas Michelle Bachelet, ex-presidente do Chile, e o apoio ao golpe realizado por Augusto Pinochet no país sul-americano, em 1973, reafirmam a incompetência do atual ocupante do Palácio do Planalto em estabelecer um ambiente de diplomacia com outros países.

 

A constatação foi feita pelo professor de relações internacionais da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) Williams Gonçalves. Ele considera que o Brasil vem sofrendo uma série de desgastes com antigos parceiros por conta dos posicionamentos polêmicos do ex-capitão do Exército.

 

“A imagem do Brasil é a pior possível. E o interessante, se é que você pode falar desse jeito, é que não temos política externa. Se entendermos política externa como uma política pública que fixa determinados objetivos e busca estabelecer alianças para alcançar esses objetivos, não temos política externa, temos relações exteriores. Os nossos embaixadores vão fazendo seu trabalho, carimbando os papéis, fazendo seus relatórios, mas completamente à deriva porque é uma coisa inacreditável”, ressaltou.

 

“Ele (Bolsonaro) atacou de uma maneira sórdida a ex-presidente do Chile, e o Chile era, até então, pelo menos, um dos aliados que tinha. Depois de fazer aqueles comentários absurdos sobre a Argentina que violam a Constituição brasileira, ele está interferindo em assuntos de outro país, o que é contrário aos nossos preceitos constitucionais”, prosseguiu o docente.

 

Outro alvo das críticas de Williams Gonçalves foi o ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, especialmente após declarações que dizem respeito às suas relações com o presidente dos Estados Unidos.

 

“Esse nosso chanceler, cuja personalidade carece de uma análise mais detalhada, devia se esperar outro tipo de comportamento. Mesmo que tivesse aderido ao regime de Bolsonaro, devia ter outro comportamento. No entanto, diz que as críticas dirigidas a ele e ao Trump são invejosas, de gente que sente inveja da amizade deles. Nunca pude imaginar que um diplomata de carreira fosse capaz de um dia pronunciar uma coisa dessas, de modo que a imagem do Brasil só tende a piorar”, comentou.

 

Ouça a entrevista de Williams Gonçalves:

 

 

Entrevista em 05.09.2019

Deixe seu comentário:

Baixe nosso App

Baixe nosso App

Mural de Recados

Deixe seu recado

Para deixar seu recado preencha os campos abaixo:

Para:  
E-mail não será publicado
(mas é usado para o avatar)